O sol com seu grande fulgor,
Sobre esta terra paraense
Enche o peito de nobreza e valor
De cada oriximinaense
As matas, o céu azulino
Todo o passado traduz
Imitemos José Nicolino,
Uma epopéia de luz.

Liberdade! Liberdade!
Em dezembro surgiste pra nós
És uma luz de bondade
Um dos mais belos faróis.

Uruá-Tapera, teu nome primeiro
Veio outro pra ser verdadeiro
Hoje és o orgulho do Pará
Nossa dileta Oriximiná.
Trombetas com suavidade
Te banha com todo ardor
Suas águas com sua claridade
Refletem teu grande esplendor.
Tuas serras de um verde-montanha
Simbolizam as nossas riquezas
Juta, bauxita e castanha,
doadas pela natureza.
Tuas praias brancas ao luar
Há beleza em todas as zonas
És uma estrela a brilhar
Junto ao rio Amazonas.

Liberdade! Liberdade!
Em dezembro surgiste pra nós
És uma luz de bondade
Um dos mais belos faróis

Oriximiná, jardim da esperança
Onde tudo sorrir...
Berço de sonhos e de crenças
Quanta fé nos vem de ti.
Teu povo sempre viril
Por ti não mede labor
E te traz dentro do peito
Com pujança do amor.

Liberdade! Liberdade!
Em dezembro surgiste pra nós
És uma luz de bondade
Um dos mais belos faróis

Letra: Marly Harada

Youtube Twitter Facebook
)